Por que o nosso metabolismo fica lento no inverno?

0

Por vezes culpamos o nosso metabolismo por não conseguirmos emagrecer. No entanto, foi demonstrado que não é o inverno em si que afeta o nosso metabolismo e peso, mas sim o humor resultante dessa altura do ano que poucos de nós gosta. O frio incentiva-nos a ficar em casa e dá-nos vontade de experimentar todos os tipos de cafés e chocolates, sentados, com uma manta. É a verdade. Mas sabia que o inverno podia ser uma excelente estação para emagrecer?

Entender melhor como acelerar o metabolismo no inverno e em qualquer altura do ano, é descobrir que uma vida mais saudável e melhor é sempre possível. Pois, o nosso metabolismo tem o mesmo funcionamento durante todo o ano, mas o nosso cérebro não! O nosso cérebro precisa de uma alimentação que responda às suas necessidades, tanto no inverno, como no verão. Se a mente estiver preparada para enfrentar as temperaturas mais baixas, com certeza o nosso corpo também estará!

Por que o metabolismo é mais lento e a fome maior no inverno?

Há uma correlação curiosa entre o nosso metabolismo e o tempo. Na verdade, o facto de engordar no inverno está mais relacionado com um equilíbrio emocional que nos permite manter uma hábitos saudáveis para não engordar. Se esse equilíbrio não for respeitado, é provável que não consiga resistir à tal comida reconfortante. Ademais, a época natalícia, excessiva em comida, pode ter um papel central, assim como o facto de não querer sair à rua por causa do frio.



Vários fatores podem levar a uma desaceleração do nosso metabolismo, pelo que pode não estar diretamente ligado ao inverno. No entanto, é preciso ter em conta os alimentos que nos vão ajudar a manter o equilíbrio no inverno. Como referido anteriormente, o nosso cérebro prepara-se às mudanças climáticas e pode sofrer certas carências, nomeadamente do sol.

Então, não se esqueça de ir apanhar sol, até nos dias mais frios. O sol regula os níveis de serotonina que nos trazem bem-estar. A falta dessa hormona é traduzida num consumo de comida dita "reconfortante". Além do sol, também pode praticar alguma atividade física que irá aumentar a temperatura do seu corpo e, consequentemente, os níveis de serotonina. Já sabe que se tiver os níveis de serotonina altos, é pouco provável que caia na tentação de comer alimentos mais calóricos. Até no inverno, tente não mudar os seus hábitos alimentares saudáveis e continue a comer a verdura de inverno, quer crua ou numa sopa bem quente. Também tente ir à rua, passear e andar, apesar do frio e descubra se está pronto para começar a correr e incie uma nova etapa com o Hiit!

Os alimentos que nos ajudam a ter um bom metabolismo, até no inverno

Alguns estudos afirmam mesmo que as temperaturas baixas aumentam o apetite. Apetite e saúde não são dissociáveis, pelo que é completamente possível ter um apetite ligeiramente maior e estar em forma. Comer mais não significa prejudicar a qualidade da sua alimentação. Convém prestar atenção àquilo que ingerimos, para não engordar. Os alimentos representam o maior remédio que possamos ter para a nossa saúde e temos que utilizá-los como estratégia para não engordar:

  • Alimentos ricos em triptofano. A boa regulação da serotonina provém diretamente do triptofano transmitido pelos alimentos que comemos. Esse neurotransmissor cuida da saúde dos nossos intestinos e mantém um equilíbrio emocional adequado. Na lista destes alimentos, encontrámos as carnes brancas, ovos, laticínios, frutos secos, cereais, entre outros. Estes alimentos que ajudam a dormir melhor também são benéficos na perda de peso.

  • Carboidrato + proteína = boa combinação. A proteína é importante tanto na perda de peso como para criar músculo. Por conseguinte, queimar gordura. No inverno é sempre bom ter um prato mais consistente, então sim, pode e deve comer carboidratos, como arroz, batata doce, tubérculos, cereais, milho, mel, massa (integral, de preferência). Mas não abuse nas quantidades!
  • Não caia na tentação e prepare petiscos inteligentes. Opte por alimentos com fibra, para uma saciedade mais prolongada. Assim, vai evitar qualquer exagero. As proteínas também são eficientes e a fusão da fibra e da proteína evita picos glicémicos e permitem uma libertação estável da insulina, ao longo do dia. Frutos secos são uma boa opção, como as nozes, avelãs, amêndoas ou damascos, assim como sementes.

No comments

Como fazer a Dieta do Ovo

A dieta do ovo não é uma reeducação alimentar, mas sim um método para ajudá-lo a emagrecer através de um processo temporário. Perca até 5kg ...